Como tirar fotos de comida para fazer o marketing do seu negócio?

como tirar fotos de comida para marketing de negócio

O conteúdo imagético está entre os mais consumidos pelos usuários da internet. Por razões claras, o Marketing para comidas tem que tirar vantagem disso.

Em um ambiente em que as fotografias de pratos fazem parte da cultura de redes sociais como Instagram, investir em imagens de alta qualidade de produtos gastronômicos é essencial.

Ainda mais quando consideramos que a escolha de um cardápio virtual está diretamente relacionada à forma como os alimentos são apresentados em sites de:

  • Restaurantes;
  • Lanchonetes;
  • Padarias;
  • Food trucks;
  • Mercearias.

O sucesso de um negócio desse tipo na web tem muito a ver com esse aspecto, por vezes negligenciado ou até mesmo ignorado.

Continue lendo o texto para conhecer os elementos que compõem uma boa foto e como eles devem ser manipulados para se obter um resultado de alta qualidade.

O que forma uma imagem?

A qualidade das fotos de uma empresa onde comprar mini lanches para festa em SP tem relação com os elementos típicos da fotografia.

Estamos falando de montagem, iluminação, composição e edição. A montagem diz respeito à disposição do alimento que será o alvo da fotografia. A iluminação diz respeito a como a luz é usada para realçar a boa aparência do produto.

Já a composição é o enquadramento e uso de outros componentes na cena e a edição trata dos retoques feitos antes da publicação para melhorar os aspectos da imagem.

Acompanhe os tópicos que vêm a seguir para conhecer detalhes sobre esses quatro elementos.

Montagem

A vontade de consumir um alimento tem tudo a ver com a forma como ele está sendo apresentado.

Isso vale tanto para ambientes físicos quanto para anúncios na internet. Afinal, comer é uma experiência sensorial, isto é, envolve todos os sentidos humanos: paladar, olfato, tato e visão.

Confira dicas de montagem para as fotografias do seu negócio a seguir.

1. Escolha a abordagem estética

Comece pensando no fundo e no ambiente ao redor do produto. Se a refeição passa um sentimento mais natural, investir em uma paisagem verde é uma boa ideia. Também é bom levar em consideração as cores do alimento a ser fotografado.

Você pode investir em fundos personalizados de acordo com a estética da própria refeição. Não se esqueça de usar detergente desincrustante alcalino para limpar a louça que vai aparecer na foto. 

2. Pense na superfície

Pense com antecedência no local em que o alimento vai estar apoiado. A superfície diz muito sobre a mensagem que a empresa quer transmitir.

Pratos mais caseiros, como hambúrgueres e churrasco, combinam com superfícies rústicas, como tábuas de madeira envelhecida.

O importante é fazer escolhas que ressaltem as cores do prato e, assim, façam com que a fotografia seja atraente aos olhos dos clientes.

3. Não tenha medo de ser artístico

Apesar de estarmos falando sobre fotografia em um contexto comercial, a arte pode fazer parte do processo criativo.

Procure pensar em montagens interessantes que agucem os sentidos do público de forma lúdica e interativa.

A textura, os molhos e a louça usada para apresentar o prato podem e devem ser utilizadas como parte do processo de montagem.

Iluminação

A iluminação é um dos pontos mais cruciais de uma boa fotografia. O modo como a luz é usada tem o poder de direcionar o olhar do consumidor.

Antes de começar a fotografar, pense nos aspectos do alimento que você está buscando valorizar por meio da imagem. A partir daí, siga as dicas listadas abaixo:

1. Ilumine naturalmente

Fazer a iluminação lateral dá a possibilidade para o fotógrafo criar sombras e áreas iluminadas.

Dessa forma, um prato com uma grande multiplicidade de texturas pode ser devidamente valorizado.

2. Cuidado com o excesso de sombras

O sombreamento excessivo pode fazer com que a imagem fique pouco atraente. É preciso usá-las de forma equilibrada para que o objetivo seja atingido.

É pertinente ajustar o ângulo da câmera e o nível de exposição para que a luz se sobressaia da maneira que foi imaginada.

 3. Use luzes difusas

Para evitar o surgimento de sombras duras na montagem de galpão pré moldado em que as fotografias serão tiradas, use luzes difusas.

Você pode aproveitar a luz natural que vem das janelas. Ou então usar uma superfície que reflita a luz natural ou artificial.

É mais indicado usar a luz natural em dias nublados. Dispor o prato em um lugar próximo à janela é uma boa dica.

4. Evite iluminar frontalmente

A luz frontal pode impedir que as pessoas possam ver com nitidez os contrastes das texturas do alimento.

Da mesma forma que ocorre com a sombra excessiva, iluminar frontalmente tira as qualidades naturais do objeto fotografado. Como resultado, a foto ganha uma aparência muito artificial. Assim, é preciso ter cautela com esse tipo de iluminação.

Composição

Se você já cuidou da montagem e da iluminação, é hora de começar a pensar no enquadramento da fotografia.

Nesse aspecto há uma grande variedade de possibilidades, já que o enquadramento reflete a visão que se quer transmitir. Conheça as principais variáveis relacionadas à composição fotográfica.

1. Pense nos ângulos

Em primeiro lugar, saiba quais aspectos do alimento você quer que ganhem destaque na fotografia.

Na sequência, estabeleça um ângulo que traga o resultado que você está buscando. No caso de um sanduíche, por exemplo, é interessante fotografá-lo na lateral para ressaltar as características do recheio e as texturas.

Fotografar de cima também é indicado, especialmente em casos em que a refeição é montada em um prato.

O ângulo superior dá conta de revelar todas as camadas de alimentos que compõem o prato.

2. Combine tons de cores

É indispensável elaborar combinações coerentes. Desde a superfície até a cor do prato utilizado, os tons dizem muito sobre a foto.

Inclusive, há estudos que revelam que as cores mais quentes (vermelho, laranja e amarelo) aumentam o apetite do observador.

Sendo assim, busque concretizar uma combinação a partir de tons mais quentes. As cores frias, como azul ou cinza, não são recomendadas.

3. Não negligencie o foco e a profundidade

O foco é o elemento que mais direciona o olhar do espectador de uma fotografia. A profundidade de campo também exerce um papel importante nisso.

O segundo termo diz respeito à distância perceptível entre os objetos que estão enquadrados e a maneira como o foco realça determinadas partes do alimento.

Tente fazer uma foto com muito foco em contraste com o fundo ofuscado. Assim, o alimento presente no enquadramento vai poder ser contemplado mais de perto pelo consumidor.

Edição

Por fim, chegamos à última etapa antes de publicar as fotografias para o mundo: o processo de edição.

Nenhuma fotografia está totalmente pronta antes de ser editada em um software especializado.

Sempre há incorreções e defeitos a serem corrigidos, seja na limpeza de fachada preço que porventura apareça no fundo da imagem, ou no próprio alimento e nos elementos que formam a composição.

Nos tópicos abaixo, você pode conferir um passo a passo para tratar as imagens com qualidade.

1. Aumente a nitidez

Ao fazer ajustes pontuais na nitidez, é possível deixar os contornos de toda a composição mais definidos.

Esse ponto é interessante até mesmo para fotografar produtos como carvão ativado em preço.

A ideia deve ser, sempre, proporcionar a melhor experiência visual possível, diante das limitações que o ambiente virtual tem.

2. Faça ajustes no equilíbrio de branco

O chamado white balance é a tonalidade das partes brancas da foto. A correção desse aspecto possibilita controlar os tons gerais, “aquecendo” ou “esfriando” a imagem.

No caso específico da gastronomia, o uso de tons quentes valoriza muito mais as qualidades estéticas dos alimentos.

O equilíbrio dos tons de cores de uma foto é determinante para a boa recepção do público, desde o ramo gastronômico até aluguel de impressoras preço, por exemplo.

 3. Edite o contraste e o brilho

O contraste é a separação visual das áreas mais claras e das áreas mais escuras. Junto com o brilho, a edição desses elementos tem o poder de destacar várias tonalidades.

Pode ser até mesmo que, durante o processo de edição, o fotógrafo se depare com tons que não estavam visíveis a princípio.

4. Cuide da saturação

Pensando no fato de que fotografias saturadas aguçam mais os sentidos, não se esqueça de ajustar a saturação.

Pense nas qualidades do alimento que você está fotografando para guiar esse processo de edição.

Considerações finais

A venda de produtos pela internet tem na fotografia uma grande e importante aliada. Uma vez que os visitantes não estão na loja física de atomizador rotativo, os anúncios e a seção de produtos do site precisam exercer o papel.

Ou seja, o aspecto visual é parte integrante da experiência de compra dos leads. No caso da comercialização de alimentos isso aumenta ainda mais, já que um prato deve instigar os sentidos para ser atraente.

Felizmente, a fotografia é o recurso perfeito para fazer com que isso se realize. Pode-se dizer, inclusive, que é um elemento de importância equivalente a documentos como o laudo CMAR para o funcionamento pleno de um negócio. Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Não deixe de compartilhar esse post em suas redes sociais. Siga-nos no Instagram e no Facebook! Gostaria de nos enviar uma mensagem? Clique aqui e entre em contato conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *